Anatel lança aplicativo que compara ofertas das operadoras

A Anatel lançou oficialmente nesta quinta, 23/7, um aplicativo que compara ofertas de serviços de telefonia fixa e móvel, TV paga e banda larga, em uma iniciativa que busca dar maior transparência e facilitar a escolha na hora de contratar um plano de celular ou internet. 

“A maior virtude da ferramenta é o incremento da transparência, com informações sobre as ofertas que serão continuamente atualizadas, em compromisso das operadoras”, afirmou o presidente da agência, Leonardo de Morais, ao apresentar o app. 

Obrigatório para as empresas com mais de 5% de mercado, ele traz ofertas da Claro, Oi, Sky, TIM e Vivo. Facultativo às prestadoras de pequeno porte, já tem também a adesão da Algar, Brisanet e Cabo Telecom, onde as ofertas são disponíveis. E outras 50 empresas já indicaram interesse em incluir seus planos no app da agência. As interessadas podem se inscrever pelo email [email protected] 

Segundo o superintendente de competição da Anatel, Abraão Silva, o app nasce com 380 ofertas, sendo 114 de telefonia móvel, 123 de fixa, 74 de TV por assinatura e 69 de banda larga fixa. Mas a atualização é constante e varia a depender do município, por enquanto a menor granularidade disponível. Nesta mesma quinta, em Brasília, já eram listadas 140 planos de celular. Em São Paulo, 139, por exemplo. 

Por enquanto, a pesquisa é feita por serviço (telefonia fixa, celular, TV paga e internet) com os planos disponíveis em cada município selecionado. A partir dessa lista geral, é possível filtrar pelo nome da oferta, operadora, modalidade (pré, pós ou controle) e por intervalo de preço, além de exigência ou não de fidelização. A próxima atualização, em 90 dias, vai incluir a possibilidade de comparar ‘combos’.

“São alguns elementos de comparação, além do preço, mas que às vezes ficam no asterisco, na letra miúda do contrato. Então a gente espera que o Anatel Comparador traga clareza a esses elementos. Ele conta com empenho das prestadoras, mas a gente também espera participação da sociedade. É importante que haja comentários, feedbacks para que o aplicativo evolua. A gente espera que os consumidores façam uso e tragam elementos para a Anatel”, apontou a superintendente de relações com os consumidores, Elisa Leonel.

As empresas devem assinar termo de compromisso que garante fidedignidade e atualização nas ofertas. Daí os termos apresentados no aplicativo serem vinculantes como se tivessem sido colocados em publicidade. O desenho inicial do app é de 2015, quando um piloto foi feito com recursos do Fundo de Direitos Difusos do Ministério da Justiça. A versão final disponível foi completamente desenvolvida por servidores da Anatel. 

Fonte: Convergencia Digital

Please follow and like us:

Related posts

Leave a Comment