Malware disfarçados de apps educacionais aumentam 20.000%; Brasil é o quinto mais atacado

Novo levantamento sobre malware da Kaspersky revela também que o Zoom, amplamente usado para ministrar aulas durante a pandemia, foi a principal isca para as ameaças detectadas As plataformas de educação online entraram na mira dos cibercriminosos durante a pandemia e os brasileiros têm sido uma das principais vítimas. Um novo levantamento da empresa de cibersegurança Kaspersky revela que, ao longo do primeiro semestre deste ano, o Brasil foi o quinto país mais atacado por malware disfarçados de aplicativos de conferência ou de ensino. De acordo com o relatório, intitulado “Educação Digital: os ciber-riscos das…